• finestrino

Vinícolas no Chile: Viña San Pedro

Continuando a mini série de vinícolas no Chile, a outra que visitamos nessa viagem foi a Viña San Pedro. Se a vinícola Miguel Torres ganhou com a melhor explicação disparada, essa ganhou com a melhor vista e melhor vinho da viagem. Disparadíssimo!

A vinícola San Pedro é imensa, tem uma fabricação bem importante e tem várias vinícolas espalhadas pelo Chile. A que nós fomos é a Grandes Vinhos, que produz apenas 5 vinhos tintos muito selecionados: o Sideral (que são apenas 9 mil caixas/ano); o Cabo de Horno (1500 caixas/ano); o Altair (também 1500 caixas/ano)o Tierras Moradas e o Kankana del Elqui (ambos com 500 caixas/ano).


Aí você fala “nossa Anna, mas que pouquinho, se comparado às outras vinícolas!”. Então, sim, é bem menos para esses vinhos específicos, até comparando com a vinícola que falei no último post, a Miguel Torres, que produz 8 milhões de garrafas/ano. Mas é que vocês não estão entendendo o grau de qualidade de lá. Para se ter uma ideia, o Altair que é o top da linha (by the way, que-vinho!) e o Cabo de Horno só são produzidos se o clima do ano estiver de acordo com os padrões para manter o mesmo resultado final. Senão, não é produzido. É nesse nível de perfeição a coisa toda.


Nós marcamos um almoço lá, no último dia da viagem, e acabamos chegando super tarde (15h!), então a visita à vinícola, produção e degustação fizemos um pouco correndo. Assim como na Miguel Torres, é só com agendamento, tanto visita quando almoço, ok?


Agora preciso falar, que vinho é esse Altair que eles serviram? Gente, melhor vinho disparadíssimo. Seco sem ser muito seco, com toque de Cabernet Sauvignon mais suave, apenas perfeito.

No almoço, cenário de filme, só isso. O restaurante, ou melhor, quincho como eles chamam, fica em cima da colina e todas as parreiras embaixo a perder de vista, e laterais com cordilheiras. É uma vista espetacular, extremamente romântica, o dia estava lindo e o ventinho deu um clima bem gostoso pro almoço.

Lá nos foi servido 2 entradinhas, salada, prato principal e sobremesa. Fomos atendidos com muita exclusividade, tudo na maior perfeição. A carne estava excepcional (desculpem, acabei não perguntando se tem opções vegetarianas), os legumes, as batatas… Foi aquele almoço que você não quer que acabe nunca mais, sabe como? Não queria nunca mais sair de lá, mas tivemos que sair porque eles já estavam fechando e a gente almoçando ainda hahaha às 18h!

Para chegar lá você precisa estar de carro. Não precisa ser um locado seu, mas quem sabe pode ver com eles o deslocamento, uma excursão e tal. Fica mais ou menos a 119km de Santiago, e a gente vai entrando por uma rua cheia de vinícolas e vai entrando e vai entrando… é a última possível. Então melhor estar de carro ou fazer algum tipo de tour.


0 visualização
  • Facebook - Grey Circle
  • Instagram - Grey Circle