• finestrino

Vinícolas no Chile: Viña Miguel Torres

Nesta viagem temos que: visitar vinícolas no Chile! Sem dúvidas! Mesmo eu não sendo a pessoa mais fanática por vinhos, achei por bem que precisávamos visitar algumas durante essa viagem, porque pô, tava ali NO vale dos vinhos!


Escolhemos visitar 2 vinícolas no Chile, a Viña Miguel Torres e a Viña San Pedro (que falo melhor em outro post). As duas ficam relativamente perto uma da outra, mas a gente escolheu fazer uma na descida pro sul e outra na volta, antes de chegar em Santiago. Otimizando tempo, trajeto, estrada… essas coisas.


Nossa primeira parada foi a Viña Miguel Torres, uma vinícola familiar e super tradicional da Espanha! Sim, o dono é espanhol, é a mesma da famosa Torres de lá. Se alguém já conhece a famosa marca espanhola, já sabe que a qualidade é lá em cima.

Visitas à vinícolas são geralmente muito parecidas né? A gente passeia pela plantação, explicam mais ou menos os processos, degustação e fim. Sim, não é muito diferente, mas na Miguel Torres achei que foi a melhor explicação de todas as que já fui. Hiper completa e com maquinário muito moderno todo a vista, foi realmente bem interessante.


Começamos com os tipos de uva. Na frente da bodega, tem uma pequena plantação com as diversas uvas que eles usam lá, todas sinalizadas e o tour começou ali, falando de cada uma delas, explicando porquês e qual vinho elas geram e com o que harmonizar. Ficamos um tempinho ali e não foi só “aqui uva cabernet, aqui merlot, vamos seguir”.

Dali seguimos para conhecer o maquinário todo moderno. Na época de colheita, os visitantes podem ver tudo, todo o processo funcionando. Nós fomos no ápice do verão, quando não tem colheita e ainda era final de semana, que não tem o trabalho normal na vinícola. Fiquei triste, mas depois de tomar bons vinhos, passou. he


Dali para a degustação. Experimentamos 3 vinhos, um tinto, um branco e um rosè. Esse rosè adorei, super diferente, muito suave e nada enjoativo. (porque tem uns rosè que por deus, ergh!)

Terminamos a visita ali por 14h30 acho, e seguimos pro restaurante da vinícola. O lugar é super pequeno, então tem que fazer reserva! Acho que tem umas 10 mesas, bem íntimo mesmo. Atendimento inacreditável, o que era de se esperar de uma vinícola desse porte e padrão.

Lá comemos uma carne fantástica, e o casal que estava conosco pediu o menu completo que vem entrada, principal e sobremesa. Ah, outra coisa bacana foi que, enquanto esperávamos os pratos, eles trouxeram uma outra entradinha para nós, sem cobrar a mais por isso.


A visita custa 15.000 pesos (R$ 88,50) os de vinho e o de espumante 18.000 (R$ 106,20). Eles também tem tours de bike + degustação, 16.000 (R$ 94,40). Os tours acontecem de segunda a domingo, das 10h às 17h, saindo de hora em hora, então é bem tranquilo pra agendar conforme a sua viagem.

O almoço varia conforme seu pedido, mas o menu completo de entrada + principal + sobremesa + vinho, custa cera de 31.500 (R$ 185,85 por pessoa). Se você pedir alguma outra coisa do menu, sem ser o completo como nós pedimos, vai sair em torno de R$ 80 sem o vinho mas com bebida simples (refris, água, suco) e um pouco mais se for com vinho à sua escolha. O almoço vai de 12h30 às 16h e jantar a partir das 20h. As fotos acima são do menu completo – que fotografei de um casal que conhecemos na viagem – e também do prato simples, só com a carne.


Para visitar a vinícola e comer por lá, é preciso reservar, ok? Aqui tem todos os contatos para reserva. Partiu bons drinks no Chile!

0 visualização
  • Facebook - Grey Circle
  • Instagram - Grey Circle