• finestrino

Um passeio por Belém, em Lisboa

O bairro é mais afastado do centro, mas é fácil chegar lá. Você pode pegar o elétrico 15 ou o ônibus para a estação de Belém e parar na porta do Mosteiro dos Jerônimos que vai ser fácil de identificar, já que é esse prédio gigante/lindíssimo que vai aparecer já do lado direito do elétrico.


O lugar é um antigo Mosteiro e me lembrou muito a arquitetura do Duomo de Milão. O negócio é gigantesco e você pode entrar e conhecer melhor o local. o bilhete custa 7 euros, mas se você comprar o passe para Mosteiro + Torre de Belém, fica 10 euros os dois. Se os dois passeios não forem suficientes, você pode ainda comprar o bilhete para o Palácio da Ajuda que vou falar ali embaixo, e pagar 13 euros tudo. Vale a pena, já que cada um custa em torno de 6/7 euros!

Se você ainda quiser economizar mais ainda, aos domingos a entrada é franca até às 14h.

Mesmo que não entre, a visão é suficientemente linda. O lugar é monumental e, se puder ir a noite, vá! Com a iluminação o prédio fica absurdo!


O prédio é do século XVI e é uma das principais igrejas da Europa. Quer mais? Dá pra entrar na Capela e ver os túmulos de Vasco da Gama e Camões. Livro de História né??


Se você atravessar a rua logo em frente – tem uma passagem subterrânea, já que as pistas são bloqueadas para pedestres – já vai encontrar o Padrão dos Descobrimentos. Ele é gigante, e a construção, como o próprio nome já diz, foi erguida como homenagem aos descobridores portugueses.

Na realidade o original de 1940 foi desmontado em 58 e este é uma réplica do original, erguido em 1960 para comemorar os 500 anos de morte de Dom Henrique. Eu achava que era mais velhinho isso sabe?


Ali na frente tem o CCB, Centro Cultural de Belém, um complexo de exposições, arte, música, eventos etc. A entrada é franca e o museu é gigante. A construção é nova e bem moderninha, contrastando com o mosteiro antigo. Se quiser ver exposições diferentes e atuais, ali é o lugar!

Caminhando um pouquinho você já chegará à Torre de Belém. Ela fica no mesmo lado da rua do Padrão, ou seja, na margem do Tejo. Essa é outra construção bem BEM bonita, vai ver é por isso que é uma das 7 maravilhas de Portugal. Começaram a construir em 1514 – o Brasil ainda era um pré-adolescente naquela época – e foi concluída em 1520 no reinado de Manuel I.

Ela servia como posto de sinalização, de prisão política e farol, mas hoje em dia já não tem essa função.


Já que está pela região, você pode subir até o bairro de Ajuda e visitar o Palácio da Ajuda que mencionei ali em cima e também o Jardim Botânico, que é no meio do caminho. Pra chegar lá você pode 1. pegar um ônibus ou 2. ir a pé. Não é longe, mas a subida é te-ne-bro-sa. Quando fui ao Palácio, fui de carona com uma amiga, mas quando fui ao Jardim Botânico, resolvi ir a pé porque tinha tempo. Quase morri!

O Palácio é super bonito e é cenário para várias novelas portuguesas e tal. Hoje em dia é quase todo museu e conta ainda com parte do Ministério da Cultura e o prédio é de 1761.


Eu li em vários lugares que o Jardim Botânico era top e isso e aquilo. Achei mixinho. Tá, era inverno e não estava florido, mas a questão é que achei todo o lugar mal cuidado e sujo. A entrada custa 2 euros e se for estudante, paga 1. Não é fortuna, mas esperava mais mesmo. Além do que é bem pequeno, nada comparado ao maravilhoso Jardim Botânico do Rio ou o nosso aqui de Curitiba.

E não pense que esqueci dos pasteizinhos. Mas como eu não gosto desse docinho, não posso comentar sobre! Hehe.


Só mais uma dica: venta MUITO por ali (e é bem friozão também). Margem de rio né?

0 visualização
  • Facebook - Grey Circle
  • Instagram - Grey Circle