• finestrino

O que fazer em Santiago, Chile

Acabamos de voltar de uma viagem de carro pelo Chile e, dessa vez, fomos de avião até a capital do país, Santiago, para então descer até a Ilha de Chiloé. Eu já conhecia Santiago, e essa foi uma oportunidade legal para visitar alguns lugares diferentes e atualizar o post de o que fazer em Santiago aqui no blog.

Acho que fica melhor separar pelos pontos que visitamos e aí cada um se organiza da melhor forma para sua viagem né? Partiu Chichichi-lelele?


PALACIO DE LA MONEDA E CENTRO CULTURAL DE LA MONEDA

Super turístico, o Palacio de La Moneda é o Gabinete Presidencial. O prédio é lindo, e o muito bacana é que lá acontece a troca da guarda. Eu vi a troca na 1ª vez que estive em Santiago. A troca acontece dia sim, dia não, às 10h. É legal se conseguir unir a visita à troca, mas não se prenda a isso, ok?

É possível visitar o Palacio, coisa que não fiz em nenhuma das 2 viagens. A coisa é que tem que agendar com alguma antecedência e eu fiquei com preguiça mesmo, confesso. De qualquer forma, você pode agendar clicando aqui.


O que é mais legal nessa parada é a visita ao Centro Cultural de La Moneda, um museu que fica na lateral direita (olhando de frente para a fachada). Este eu fui nas duas viagens e valeu demais apenas em ambas! A maior sorte é que nas duas vezes consegui chegar no horário/dia que a entrada era gratuita. Na minha primeira visita pude ver uma exposição sobre a China, super completa. Já agora na segunda viagem, a exposição era sobre Roma. Espetacular! Acredito que este Museu sempre tenha boas exposições e vale a pena conferir. O site é super atualizado, e você pode verificar aqui a programação.

PLAZA DE ARMAS | CATEDRAL E MUSEU HISTÓRICO NACIONAL

Meio próximo dali, e você pode ir andando bem tranquilamente, fica a Plaza de Armas (vou te dizer que todas as praças centrais de quase todas as cidades do Chile, chamam-se plaza de armas). Ali você encontra a Catedral, que é lindíssima; a praça com um mapa antigo de Santiago; e o museu histórico nacional.

Nós visitamos este museu, e ele é bem interessante. A melhor parte é que a entrada aqui também é gratuita, então nem que seja uma espiada rápida, vá! Está aberto de terça a domingo das 10h às 18h. Segunda é fechado.


MERCADO MUNICIPAL | DISPENSÁVEL

Bem, não é porque eu não curto que não entra a dica aqui, não é mesmo? Eu confesso que tenho receio de indicações de mercados municipais, que todo mundo em todo lugar coloca como ponto de visita. E eu sempre acabo indo, e raramente acho legal.


São poucos os mercados municipais que eu realmente achei legais, que valem a visita, que não são fedidos e/ou sujos. Basicamente aqui você encontra lugares pra comer, peixe, muvuca, algumas lojas de souvenir. Fui na primeira vez, nada de mais. Passei na frente na segunda vez, não quis parar. Mãs, fica uma sugestão. É perto da Plaza de Armas e dá pra ir a pé. Quem sabe uma passada, só pra tira teima? Cê que sabe.


TEATRO MUNICIPAL

Adorei essa visita! Passamos na frente do teatro, bonitinho, tinha ballet em cartaz. Dançarininha que sou, queria tentar assistir e entrei no teatro atrás de tickets. Não tinha mais, mas tinha visita guiada na parte da tarde. Lá fomos nós.

O lugar é lindo, enorme, cheio de história e a visita foi muito completa. Nossa guia era ótima, muito simpática e, de quebra, no fim do tour, deixou a gente ir até o palco e área dos bailarinos (coisa que não está inclusa no tour e ela liberou para nós apenas, que somos dançarinos). #mesentiimportante


O que é super legal desse teatro é que é tudo feito lá, 100% tudo, desde a roupa até o cabelo da peruca e os cenários. E o mais legal ainda, é que esse é um dos pouquíssimos (pra não dizer o único ainda) teatros do mundo que utiliza uma técnica italiana de pintura dos painéis, toda feita a mão. É um trabalho maravilhoso nesses painéis enormes!

A visita é paga, custa 6.000 pesos – não, não é barata – mas adoramos. Achei bem interessante esse passeio. E tem que por a mão no pé dessa estátua – que agora não lembro o nome – pra voltar pra lá. #lendas #agentefazné


MUSEU DE BELLAS ARTES

Outro museu interessante e gratuito, é o de Bellas Artes. A primeira vez que estive lá não achei nada de mais nas exposições, mas gostei muito do prédio. Já na segunda visita, tinham poucas expos, mas uma delas simplesmente maravilhosa-sensacional-incrível!

A expo era de uma artista chilena, Monica Bengoa, que gente, que-trabalho! Pensa você fazer um painel de tipo 14m, inteiro com 2 mil guardanapos pintados a mão com lápis de cor. Pois é, bem isso. Não podia tirar foto da exposição, infelizmente.


Acho que vale a pena dar uma passada neste museu também. Mesmo que não tenha uma exposição super mega, o prédio é lindíssimo e é gratuito. E né, piriga ter algo lindão e que você goste, né?


CERRO SANTA LUCIA

Uma coisa super bacana em Santiago, é a vista pra Cordilheira dos Andes, que está por todo lado. E eles aproveitaram bem isso. Lá temos dois cerros para subir e ter a vista completa da cidade e cordilheira, e também tem o famoso Restaurante Giratório (que apesar da boa vista e experiência diferenciada, é bem turistão).

O Cerro Santa Lucia é extremamente central, você pode ir caminhando da Plaza de Armas até ali, e de lá também consegue caminhar até o bairro Lastarria que falo mais abaixo, e por que não, também consegue chegar ao Bellas Artes e Patio Bellavista (exigindo mais das pernas, mas nada exagerado, he).

A subida ao cerro é gratuita, e na entrada tem um portal bem lindo, todo antigo. Ele é basicamente um parque urbano vertical, e os chilenos usam e abusam disso (e de todos os parques). Para chegar até em cima é preciso subir vários lances de escada. Até vi que tem um elevador, mas não estava funcionando quando fomos. A subida não é nada exagerada, e como tem diversas praças e pontos de interesse no caminho, a gente vai descansando até chegar lá no topo.

CERRO SAN CRISTOBAL

Já o Cerro San Cristobal eu indico ir de carro (táxi), pois é mais afastado um pouco do centro para ir a pé. Lá a entrada é paga para veículos (3.000 pesos) e não cheguei a ver se pessoas não motorizadas são cobradas também. Falha minha.


Este cerro é o maior parque urbano da América Latina, e assim como o Santa Lucia tem vários pontos e paradas de interesse aqui. No San Cristobal temos 2 piscinas públicas (paga-se separadamente para usá-las), temos um anfiteatro memorial a Pablo Neruda, temos alguns restaurantes e muitas lanchonetes, temos jardim japonês que infelizmente estava em reforma quando fui, temos Santuário Imaculada Conceição, temos algumas trilhas, temos uma capela, cemitério, temo teleférico para ficar passeando pra cima e pra baixo.

O teleférico também é pago a parte, e você pode comprar trechos ou ida e volta, tudo junto. Pagamos o ida e volta para visitar mais pontos, e isso custa 2.510 pesos por pessoa. É divertido, é uma vista legal e acho que vale.

Pra quem estiver de carro, sugiro parar no anfiteatro do Pablo Neruda. Acho que pouca gente vai porque ele fica mais longe pra quem está a pé lá dentro. Mas fica a sugestão. Tem uma boa vista e quase ninguém, ou seja, perfeito para fotos? Sim ou com certeza?

No Cerro San Cristobal, na brincadeira, acabamos ficando umas 2h, então reserve sim um bom tempo nesse ponto!


PATIO BELLAVISTA E ARREDORES

Que parte deliciosa! Quando fui pela primeira vez, esse Patio tinha recém inaugurado, ainda não era tão bombante e tinham até espaços vazios. Hoje a região e o Pátio estão o máximo, super badalados, cheio de restaurantes, bares, lojinhas, artesanato, sorvete…


Muito gostoso passear por ali, e acho que é uma boa área para você procurar o que comer e comprar souvenirs e coisinhas que a gente bem adora né? Os preços não são mais caros que outros lugares, nem pra comida e nem pra artesanato. A verdade é que está tudo caro no Chile mesmo, então eu não senti essa diferença, dessa região para algo mais centro.


BAIRRO LASTARRIA

Esse pequeno bairro também é uma opção boa para comer. Aqui não tem muito artesanato, mas gastronomicamente falando, é uma boa. Legal passar ali depois de visitar o Cerro Santa Lucia, porque fica tipo 2 quadras um do outro.

Essa última foto é uma pintura na fachada de um prédio. É super lindo!


É aqui que fica o famoso prédio inteiro verde e ao lado o Museu de Artes Visuais. Este é pago, diferente dos outros citados aqui. Não visitamos por motivo de: estava com certa preguiça sim e não quis pagar. Digo na cara dura, haha.


FEIRA DE SAN DOMENICOS

Este lugar visitei na primeira ida a Santiago, e algumas pessoas incentivaram a não ir. É bem afastada do centro, mas foi um lugar bem interessante, pelo menos na época. É uma feirinha de artesanato, só que fica tipo em uma vila indígena, de madeira, muito legal! Lá tem bastante souvenir, e a comida é gostosa, dá pra ir de manhã e ficar pra almoçar, por exemplo. Olha que querida a parte de fora:

EXTRA: VALLE NEVADO

Esse é um super extra aqui! Eu não estive lá, mas acho que vale o passeio pra ir realmente de carro, dirigindo por conta própria para subir as montanhas, e não em excursão, que certamente você encontra fácil nas agências.

Se tiver um tempo, dá um pulo lá pra dizer que subiu nas Cordilheiras!


*Eu não vou indicar nenhum lugar para comer, ok? Eu acho que os restaurantes chaves e principais, todo mundo indica em todos os lugares, sites, blogs, revistas e até nas agências. Então não preciso por. E também, acho que quando estamos na pegada viagem, vamos parando na hora que der fome e onde estivermos, então é tão variável né? E além disso, restaurante é uma coisa que abre e fecha toda hora. Então nessa viagem eu vou dispensar as diquinhas de restaurantes. Mas te aviso: está tudo caríssimo!! Vou falar melhor no post “quanto custa viagem pelo Chile”.

0 visualização
  • Facebook - Grey Circle
  • Instagram - Grey Circle