• finestrino

Nazaré, bate e volta partindo de Lisboa

Uma das coisas que fiz lá em Portugal foi pegar um tour para algumas cidades pequenas e próximas. O que peguei levava a Fátima, Nazaré, ao Mosteiro da Batalha e a Óbidos. Falo de todos os lugares aqui no blog.


Não foi a minha preferida nem nada, mas olha essa vista:

Isso fica no alto da cidade, em uma parte mais histórica. Fomos com a van, então não sei informar como faz pra chegar tirando o funicular que só funciona no verão.


A guia nos contou que ali nessa praça central sempre tem mulheres vendendo artesanato que elas mesmas produzem e que todo mundo tira foto delas, pois usam trajes típicos da região. Esses trajes são 7 saias – 7 dias da semana, 7 cores do arco-íris e 7 virtudes – que dizem que era para proteger do frio. Na realidade no dia-a-dia elas já usam menos saias, só 4 – SÓ – mas nos dias festivos são as 7 e mais um monte de bijuterias e enfeites.

Outra coisa que eu achei engraçada/curiosa é que essas mulheres usam as saias sem roupa de baixo, e quando os turistas iam até lá elas levantavam as saias e mostravam tudo! Isso foi proibido pelas autoridades, mas convenhamos que não deve funcionar muito… sei lá.

Queria ter visto uma dessas para fotografar, mas não tinha nenhuma na praça. Inverno, frio, vento…


Aliás, a vista ali de cima é lindíssima mas o vento não. Meu Deus como ventava! Tenebroso. Não sei se no verão venta assim também, mas caso vá no inverno use cabelo preso. Dica preciosa para as leitoras, hein?


Na parte de cima na praça tem uma igreja, óbvio, porque Portugal é tipo Itália e Minas Gerais, a cada 2 passos uma igreja pra fotografar/visitar. Essa é bem pequena e lembra muito as de Minas, tirando os azulejos coloridos.

A cidade em sim não tem nada de mais, é pequena, com ruas pequenas, casinhas simples e na beira da praia um monte de loja de souvenir. Paramos ali para almoçar e foi meio difícil achar restaurante aberto na hora do almoço (português? tirem suas conclusões) mas acabamos achando um ali perto da orla mesmo que por fora nem inspirava confiança.

Mas por dentro era uma graçinha e o dono era super simpático e atencioso. A comida estava bem gostosa, bem feita e a refeição com bebida saiu por 11 euros. Nem eu e nem a menina que estava comigo conseguimos comer tudo o que veio no prato, apesar de serem “individuais” com certeza dava para duas pessoas.


Não dá pra ver direito ali na foto, mas o nome do lugar é Rosa dos Ventos. Quem for e estiver com fome, eu recomendo!

0 visualização
  • Facebook - Grey Circle
  • Instagram - Grey Circle