• finestrino

Estudar em Milão - minha experiência

Vou contar um pouco sobre as faculdades e escolas de lá e como fiz para estudar em Milão aqui hoje!


Bom, eu estudei no Politecnico di Milano e fiz um intercâmbio com minha faculdade daqui, a UFPR. Na época estavam abrindo o convênio, e como quem foi atrás de todos os documentos e cartas e o diabo a quatro fui eu e mais dois amigos, nem precisamos passar por processo seletivo. Esse convênio tem vaga para 3 pessoas apenas, e apesar de dizerem que era só de 6 meses, quando chegamos na Itália descobrimos que a possibilidade era de 1 ano. Imagina o xunxo que deu e toda a burocracia que tivemos que passar para acertar isso, já que fomos com visto e contrato para 6 meses e depois o Polimi deu abertura de 1 ano e foi todo um stress com a faculdade daqui.


Acho que agora isso já está mais certinho e mais esclarecido, mas nós que fomos os primeiros passamos, por alguns desentendimentos, burocracias e chatices. Se agora está tudo de acordo entre as duas faculdades, agradeçam a nós, próximos alunos intercambistas da UFPR! haha


Essa foi a primeiríssima foto que tirei em solo italiano. Está uma bosta, eu sei, mas gente, relevem e fiquem com o momento apenas, haha.


Mas tá, passado todo o drama, a faculdade é o máximo. O mais legal é que você ter liberdade pra fazer a matéria que quiser, no campus que quiser, do curso que quiser. Sou designer gráfico e gosto muito de moda, logo, escolhi matérias dos dois cursos.


Eles são bem exigentes lá na faculdade, e a maioria das aulas é integral, das 9h15 às 18h15, mas como muitas vezes tem só acompanhamento de projeto, você não precisa ficar lá o dia todo, vai só na hora de falar com o professor.


O que eu achei engraçado – e isso mais na parte de moda mesmo – é como eles são competitivos e um quer derrubar o outro. Juro, é impressionante. Nas matérias que fiz de moda, não fiz nenhum amigo, e eram todos bem cuzões e querendo ser sempre melhor que o outro. Já nas matérias de gráfico e em workshops, a galera é bem mais normal e conversam com você. No começo achei que eu que não me encaixei na turma, mas depois conversei com outras pessoas que acharam a mesma coisa. Ufa, eu não era a anormal!


Enfim, de modo geral, as aulas são bem legais e os projetos bem interessantes, principalmente porque eles tem parceria com diversas empresas e você acaba desenvolvendo coisas que são apresentadas para o pessoal da empresa mesmo, ou seja, megas oportunidades né?


Sobre os professores, é eles são meio fechados, bem “severos” em alguns momentos e não são como aqui, que ficam amigos do pessoal. São poucos os mais acessíveis, geralmente os mais novos. Ah, e cada matéria tem no mínimo 3 professores – estranhei isso -, cada matéria meio que se divide em temas e também tem vários assistentes, principalmente nas de projeto. De certa forma é confuso, você nunca sabe bem com quem falar para tirar dúvida ou perguntar algo. E não se engane, tem assistente que é muito mais brabo que o professor. Eu fazia uma matéria que tinha pavor total de uma assistente e no caso, de uma professora (vai ver porque ela era ex-estilista da Etro e era fodona e uma coisa meio “o diabo veste Prada”, sabe?).


O Polimi tem workshops uma vez por semestre, o que é muito legal. Ninguém é obrigado a fazer, e muita gente usa a semana como férias. Mas o bom é que serve já como créditos de aula e você conhece bastante gente. São vários e você pode escolher qual quer fazer, mas é uma semana intensa de projeto que você provavelmente vai rodar várias noites pra terminar tudo.


Não comentei ainda que a faculdade é ultra moderna. A faculdade não, o campus de Arquitetura e Design, porque o de Direito que é no centro da cidade é um prédio bem antigo. A que estudei era bem novinha e era uma coisa meio Mondrian. A biblioteca era um sonho e tinha ainda uma biblioteca inteira SÓ de moda (pra você ver como eles valorizam isso lá). De certa forma o campus era um pouco frio, muito tecnológico, sei lá. Eles também tinham oficinas para o pessoal de produto e nossa, fui uma vez lá e tinha tipo TUDO de material e ferramentas… e claro que tinham salas de costura e estúdios de fotografia e vídeo. Igual aqui. Hahaha.



Mas não é só o Polimi que existe lá, pelo contrário, tem muito lugar legal para estudar. Ainda nesse quesito design-moda tem o Istituto Europeo di Design, vulgo IED e o Istituto Marangoni. As duas escolas são conhecidíssimas por lá, e são mais elitizadas.


O IED tem cursos de três anos, um ano, 6 meses e os de verão, de 1 mês. Eles tem sede em várias cidades: Roma, Torino, Venezia, Cagliari, Firenze, Madri, Barcelona e São Paulo. Em Milão tem mais de uma sede, e os cursos se dividem para não ficar tudo apinhado. Para saber os valores é preciso entrar em contato com eles.

Conheci um professor que dava aula em Roma, e ele me disse que pelo menos no sul da Itália, era a melhor escola da área. E também conheci o diretor do curso de design de produto de Milão, que fala português e ajuda a ministrar o IED de São Paulo. Ele é super querido e simpático, mostrou toda a escola e contou como funciona tudo por lá.


Já o Marangoni é ainda mais elitizado que o IED. Os preços são beeeem salgados, um master em Milão (curso de 1 ano) custa apenas 23.500 euros. Então, é tenso. Acho que a escola é sim muito boa, mas ai… é muito caroooo! Lá a maioria dos estudantes são italianos e japoneses mais endinheirados.



Essa escola tem sedes em Milão, Paris e Londres, e todos os preços estão no site, já de cara pra você leva um susto. Haha. E tá que em Milão a escola fica perto da onde? Do Quadrilátero da Moda, só o lugar mais chique da cidade.


Outra Universidade muito boa de lá é a Cattolica del Sacro Cuore. O campus fica logo ali do ladinho do Duomo, bem de fácil acesso e em um prédio histórico também. A Sacro Cuore tem sede em Roma, Piacenza e Cremona, Brescia e Campobasso.

Eles tem cursos de graduação, pós, cursos de língua, pesquisa, doutorados, cursos de verão… várias opções. Não é uma faculdade com renome em design como as outras, mas sim em Direito, Economia… área mais business mesmo.


Outra faculdade pra você dar uma olhada é a Bocconi. Eles também são mais da área de business e é dividia em 5 escolas.

Tem de curso de graduação até pós e doutorados. Eles ainda fazem algumas parcerias com o Polimi, e algumas matérias tem aulas ministradas na sede da Bocconi e vice-versa. Interessante isso, pois você acaba conhecendo mais gente. Infelizmente não peguei nenhuma matéria que tivesse isso, mas algumas amigas me disseram que foi bem legal.


A última escola que vou falar aqui é a de Bellas Artes di Brera. Como o nome já diz, é uma escola de arte que fica em Brera – um bairro super legal lá de Milão – em um prédio histórico super bonito também.

Os cursos são pagos, mas são valores mais simpáticos, nada como os preços estratosféricos do Marangoni.


Todas as escolas tem programas para estudantes estrangeiros, é só ir atrás e ter paciência, porque a burocracia é um troço bem chato mesmo. O IED e o Marangoni tem preços diferentes para nós, extra comunitários, é sim, são preços mais altos, legal né? Enfim, sempre surgem programas de bolsa, o IED tem bastante, a pegadinha é que pra conseguir manter a bolsa durante todos os anos de estudo você tem que sempre tirar nota acima de 28 (sendo o máximo 30). Ééééé, meu filho, bora estudar!!

0 visualização
  • Facebook - Grey Circle
  • Instagram - Grey Circle